Mesmas campanhas, conteúdos semelhantes: como se destacar?

Diante de um cenário midiático extremamente massificante e robotizado, em que modismos tomam o espaço de conteúdos originais, é...

Diante de um cenário midiático extremamente massificante e robotizado, em que modismos tomam o espaço de conteúdos originais, é preciso se destacar. Mas como ser diferente, se alguns temas obrigatoriamente se repetem e se replicam?

Neste mês, um dos assuntos com o qual mais nos deparamos foi o Setembro Amarelo, campanha em prol do combate ao suicídio e da atenção aos sintomas de doenças psicológicas, como a depressão. Trata-se de um assunto obrigatório, tanto para uma comunicação mais institucional, quanto para as jornalísticas ou voltadas ao Marketing em si.

Se não podemos deixá-lo de fora das pautas, até mesmo devido à responsabilidade social, é preciso que se pense fora da caixa para se destacar, afinal, apenas até a metade do mês, no Instagram, já se contabilizava 1.097.559 publicações que levavam a hashtag #setembroamarelo como mote.

Reproduzir artes e conteúdos de outrém, obviamente, está fora de cogitação. Produzir conteúdos originais e úteis é o que determinará o sucesso de sua temática – claro, ignorando das posteriores divulgações. Para isso, é essencial pesquisar, pensar, planejar e, aí sim, criar.

É no momento do planejamento que as publicações já existentes podem ajudar a nortear as ideias, mas é pensando e planejando que o conteúdo verdadeiramente aplicável surgirá: é aí que você conseguirá escrever, não só baseado no que outros redatores já lhe deram “de bandeja”, mas no que sua experiência de vida e de pesquisas lhe trouxeram. E a subjetividade, aliás, precisa existir, pois é o que proporcionará sensibilidade e emoção, principalmente quando o tema é tão delicado quando o Setembro Amarelo.

Definido o tema e feitas as pesquisas, é extremamente importante pensar no que é viável e essencial para seu cliente: como posicioná-lo dentro de um assunto tão importante? Como fazer sua marca conversar com o Setembro Amarelo?

Aqui na JobsX, por exemplo, trabalhamos a ação com alguns de nossos parceiros. Com a marca de massas Romanha resolvemos não só destacar a campanha, propriamente dita mas fizemos sim o “feijão com arroz”: ceder espaço nas redes sociais para artes e ícones que levam o mote. Mas fomos além: encontramos uma maneira de ajudar, de maneira mais ativa, uma organização que atua ajudando quem sofre dos males que o Setembro Amarelo prevê.

Foi no momento de pesquisa que encontramos a Ong Lucianas e Marias, grupo de mulheres que realiza encontros semanais para confecção de crochê e terapias informais. Existente desde 2015, assiste gratuitamente mulheres que sofrem de ansiedade, depressão, pânico e outros transtornos. Durante todo o mês de Setembro, a Romanha entregou às participantes massas diversas, das quais elas desfrutaram juntas. Quando, devido à pandemia, não foi possível realizar o encontro semanal, a fundadora da Ong, Luciana Cortez, destinou os alimentos às participantes cuja situação econômica está difícil.

Voluntária e espontaneamente, Lucianas e Marias de Curitiba nos enviaram fotos em que seguravam placas agradecendo à Romanha. Para a marca, uma atitude pequena; para a Ong, um zelo, um cuidado e uma atenção raros.

Qual a importância de investir em mídia online?

Mídia online é um dos ramos do marketing digital...

O que é ciclo de vida do cliente?

O ciclo de vida do cliente é algo que...

Fique por dentro do nosso mundo X